Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio teve atividades em Modelo

Publicado em 14/09/2021 às 10:42 - Atualizado em 14/09/2021 às 10:42

Na última sexta-feira, dia 10 de setembro, foi uma data importante na luta contra o Suicídio, pois essa data o mundo escolheu para dizer às pessoas que devemos combater os tabus relacionados ao problema e por meio da divulgação de conhecimentos relacionados ao fenômeno, ensinar as pessoas que suicídios podem ser prevenidos.
 
Como uma das ações da Campanha do Setembro Amarelo na última sexta-feira (10) a equipe da Secretaria de Saúde esteve realizando visitas às indústrias e comércios modelenses. Essa ação contou com auxílio da ACIMO/CDL que também realizou a entrega de folder informativo para seus associados. As visitas foram realizadas pelas psicólogas juntamente com demais membros da equipe da Unidade Básica de Saúde.
 
Nas indústrias após uma explicação sobre a campanha foram entregues folders informativos para distribuição aos funcionários e no comércio também foram entregues folders informativos e um cartaz com frase de apoio para que possa ser exposto.
 
A Secretaria de Saúde agradece a colaboração e recepção de todas as indústrias e comércios do município que contribuíram com essa importante ação. Ressaltamos que foram cumpridas todas as medidas de proteção à covid-19, bem como a solicitação de permissão para entrega de material e registro.
 
De acordo com a psicóloga da Unidade de Saúde, Carine de Assis, indivíduos e instituições podem ser agentes de Saúde Mental nas vidas das pessoas e das sociedades. “Conhecimentos salvam pessoas e colocando-os ao alcance das pessoas muitas vidas podem receber as orientações que necessitam para reencontrar a paz, a harmonia e os potenciais que possuem para serem, verdadeiramente, felizes. Suicídios podem ser prevenidos e muito pode ser feito no sentido de as pessoas em sofrimento encontrarem apoio, suporte, orientação e acompanhamento em relação as suas dores e aos seus desesperos. Para isso, precisamos falar sobre o assunto e retirar os tabus que o impedem de ser enfrentado de forma segura, assertiva e positiva”, destaca a profissional.